Defesa de Mestrado: Investigações Filosóficas sobre Linguagem, Música e Educação na Perspectiva de uma Pragmática Wittgensteiniana. (O que é isso que chamam de música?)


Data: 26/08/2011
Horário: 14:00
Sala Guerra Peixe
Instituto Villa-Lobos (PPGM-UNIRIO)

MOREIRA, José Estevão. Investigações Filosóficas sobre Linguagem, Música e Educação na Perspectiva de Uma Pragmática Wittgensteiniana. (O que é isso que chamam de música?) 2011. Dissertação (Mestrado em Música) – Programa de Pós-Graduação em Música, Centro de Letras e Artes, Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro.

Banca Examinadora:

_Prof. Dr. Paulo Pinheiro — UNIRIO (Orientador)

_Prof. Dra. Carole Gubernikoff — UNIRIO

_Prof. Dra. Maya Suemi Lemos — UERJ

RESUMO

A presente dissertação se propõe a realizar uma investigação filosófica* sobre música, linguagem e educação a partir da pragmática wittgensteiniana. No entanto, tal delimitação – música, linguagem e educação – seria insuficiente para dar a tônica da investigação aqui realizada, pois a abrangência deste recorte poderia escapar por entre os dedos, devido à sua dimensão e volatilidade. Mesmo antes de definir os campos da filosofia, música e educação aqui estudados, é preciso dizer que a presente pesquisa tem como proposta a apresentação de uma abordagem da educação musical do ponto de vista da linguagem. A hipótese motriz deste trabalho reside na suspeita de que a palavra “música” – e todo um léxico – evoca diversas e até divergentes concepções, que não são possíveis de se conhecer senão na práxis, nas ações. Tais questões são consideradas a partir dos conceitos de jogos de linguagem, formas de vida e o argumento da impossibilidade de uma linguagem privada, de Wittgenstein. Desenvolve-se, a partir do conceito dos jogos de linguagem, a ideia de que pressupostos tácitos são partilhados em contextos específicos, nos quais se empregue a palavra “música”. Problematiza-se também a corriqueira ideia de “linguagem musical” – a partir das diferentes concepções de linguagem – bem como suas implicações para o campo da música e da educação abrangendo assim à dimensão ética e estética da educação musical a partir da ótica wittgensteiniana. Trata-se portanto do campo dos valores, daquilo que não se diz e que é silenciado não podendo ser enunciado. A partir destas questões, busca-se pensar em algumas propostas para a educação e, sobretudo, para a educação musical.

(*) O título faz alusão às Investigações Filosóficas (1953) obra de Ludwig Wittgenstein, referencial central da dissertação.

Palavras-chave: 1. Educação Musical. 2. Filosofia da Linguagem. 3. Wittgenstein. 4. Pragmática. 5. Ética e Estética.

Anúncios